CIA RÚSTICA em movimento

> Ao completar 14 anos, grupo gaúcho vai ocupar o complexo cultural Multipalco Theatro São Pedro e outros espaços da cidade

> Quatro espetáculos, um ensaio aberto e uma oficina compõem a programação. 

Um dos mais premiados grupos da cena gaúcha, a Cia. Rústica irá promover uma série de atividades para celebrar 14 anos de intensa produção artística. A programação vai começar no dia 24 de abril, terça-feira, com um espetáculo ao ar livre e com entrada franca – Cidade Proibida, às 22h, na Praça Júlio Mesquita, também conhecida como Praça do Gasômetro.

 – Nós comemoramos a insistência na criação em Artes Cênicas. Do projeto Shakespeare até agora, colocamos no palco e na rua 12 espetáculos, além de cabarés, intervenções, oficinas, afetos e ideias. Seguimos com muitos desejos, repertório de invenções e novos projetos, em uma rede móvel de artistas em colaboração – comemora a diretora do grupo Patrícia Fagundes.

   A mostra Cia. Rústica em Movimento também irá ocupar o complexo cultural Multipalco Theatro São Pedro durante quatro dias com a oficina Desvios Urbanos, as peças Muito Palhaço pra Pouco Circo O Fantástico Circo-Teatro de um Homem Só e um ensaio aberto da nova montagem da trupe, Boca no Mundo. O evento terá ainda Língua Mãe. Mameloschn – Prêmios Açorianos de Espetáculo e Braskem de Atriz para Mirna Spritzer, em 2015 – como montagem convidada.

 

>>> A CIA. RÚSTICA: 

Criada em 2004 na capital gaúcha, a Cia. Rústica já conquistou 33 prêmios. O grupo articula um espaço de trabalho entre artistas plurais, desenvolvendo vários projetos que reúnem montagem, investigação, ação pedagógica e social. A companhia busca uma linguagem contemporânea e popular baseada na cumplicidade entre atores e espectadores, que evoca o lúdico, o corpóreo, o humor e o político na criação artística.

O primeiro projeto foi a trilogia Em Busca de Shakespeare, composto por A Megera Domada (2008), Sonho de uma Noite de Verão (Prêmios Açorianos e Braskem de Espetáculo e Direção, em 2006) e Macbeth (2004). O grupo encenou ainda Clube do Fracasso (Prêmios Açorianos de Dramaturgia e Espetáculo pelo Júri Popular, em 2010), Natalício Cavalo (Prêmio Braskem de Espetáculo, em 2013) e Fala do Silêncio (Prêmio Braskem de Espetáculo e Açorianos de Trilha Sonora, em 2017). O grupo também desenvolve um projeto continuado que investiga a cena na rua e a intervenção urbana, comporto por Desvios em Trânsito (2010), Cidade Proibida (Prêmio Braskem de Espetáculo pelo Júri Popular, em 2015) e Feito Criança (2015).

(Foto: Patrícia Fagundes)

A companhia já conquistou 33 prêmios e levou espetáculos a várias capitais brasileiras e no exterior, como São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Montevidéu, no Uruguai. Mas também sempre fez questão de inserir nas turnês cidades do interior do país – entre elas Crato (Ceará), Poços de Caldas (Minas Gerais), Blumenau (Santa Catarina)  e Itaúna (São Paulo), além de várias cidades no interior do RS.

O primeiro projeto da trupe foi a trilogia Em Busca de Shakespeare: A Megera Domada (2008), Sonho de uma Noite de Verão (Prêmios Açorianos e Braskem de Espetáculo e Direção, em 2006) e Macbeth (2004). O grupo encenou ainda Clube do Fracasso (Prêmios Açorianos de Dramaturgia e Espetáculo pelo Júri Popular, em 2010), Natalício Cavalo (Prêmio Braskem de Espetáculo, em 2013) e Fala do Silêncio(Prêmio Braskem de Espetáculo e Açorianos de Trilha Sonora, em 2017). O grupo também desenvolve um projeto continuado que investiga a cena na rua e a intervenção urbana, comporto por Desvios em Trânsito (2010), Cidade Proibida (Prêmio Braskem de Espetáculo pelo Júri Popular, em 2015) e Feito Criança (2015).

>>> PROGRAMAÇÃO: 

> CIDADE PROIBIDA

(Foto: Cristiano Prim)

Quando: 24/04, terça-feira, às 22h

Onde: Praça Júlio Mesquita (Rua General Salustiano, s/no. – em frente à Usina do Gasômetro, Centro) 

Quanto: Entrada franca.

Link com Imagens para TVs: https://www.youtube.com/watch?v=h2Y7tihu1Ok

 

Cidade Proibida tem um destino: palcos noturnos a céu aberto marcados pelo esquecimento. Em vez do espaço protegido dos teatros, as entranhas do tecido urbano. 

Vencedora doPrêmio Braskemde Espetáculo pelo júri popular em 2015, a montagem leva intervenções cênicas a locais públicos evitados pela população pela potencial ameaça de violência. Com direção de Patrícia Fagundes, cada apresentação tem aproximadamente 70 minutos, reunindo números individuais e coletivos dos artistas envolvidos. A inspiração são formas de convívio já conhecidas, como saraus, serenatas, cabarés artísticos, piqueniques e ceias noturnas. O evento compõe uma estrutura de encontro cênico ao redor de uma longa plataforma, incluindo música, circo, dança e teatro.

 O elenco conta com Ander Belotto, Camila Falcão, Di Nardi, Gabriela Chultz, Heinz Limaverde, Laura Backes, Lisandro Bellotto, Mirna Spritzer, Priscilla Colombi, Roberta Alfaya, Rodrigo Shalako e Suzi Weber. A cenografia é de Rodrigo Shalako

 

> OFICINA DESVIOS URBANOS

(Foto: Cristiano Prim)

Quando: 26 e 27/04, quinta e sexta-feira, das 15h às 18h.

Onde: Sala de oficinas do Multipalco Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/no. – Centro, Porto Alegre)

Quanto: R$ 50,00

Inscrições pelo e-mail: oficinas@multipalco.com.br 

Com  duração de seis horas, a oficina será ministrada pela diretora Patrícia Fagundes e pelos atores Heinz Limaverde, Ander Belotto e Gabriela Chultz. A atividade propõe o desenvolvimento de ações urbanas que repensem a relação ator-espectador e os procedimentos cênicos na rua, buscando inserir a arte no tecido urbano. A idade mínima exigida é de 14 anos. O público-alvo são estudantes e artistas em geral. A atividade será concluída com uma apresentação pelas ruas do centro de Porto Alegre.

> BOCA NO MUNDO – ensaio aberto 

Quando: 26/04, quinta-feira, às 19h30min.

Onde: Sala Qorpo Santo (Av. Paulo da Gama, s/no. – Campus Central da UFRGS, Centro de Porto Alegre)

Quanto: Gratuito. 

Distribuição de senhas: apenas 25 senhas serão disponibilizadas a partir das 18h30min.

A palavra em cena expandindo fronteiras de nossas identidades móveis: migrações, referencias biográficas e teóricas, poesia e política. As raízes de um brasileiro descendente de imigrantes, andanças do presente e desejos de futuro. Quem fomos, quem somos e quem podemos ser. Abrir a boca e morder o mundo.

Com estreia prevista para junho na Casa de Teatro de Porto Alegre, este solo de Carlos Mödinger tem direção de Patrícia Fagundes. Foi desenvolvido a partir da pesquisa de Doutorado do ator no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRGS com orientação de Mirna Spritzer.

 

> MUITO PALHAÇO PRA POUCO CIRCO

Quando: 28 e 29/04, sábado e domingo, às 15h. 

Onde: Sala de Música do Multipalco Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/no. – Centro, Porto Alegre)

Quanto: R$ 30,00  (50% de desconto para estudantes, idosos e sócios da AATSP)

Link com imagens para TVs: https://www.youtube.com/watch?v=lc3kweQEQZE

 

Muito Palhaço pra Pouco Circo nasce do universo de jogo e possibilidades de aventuras, trazendo à cena uma forma simples e poética de revivermos os antigos picadeiros de circo. O imaginário do circo está presente em nossas memórias de infância e também no que somos hoje, nos conectando com um mundo de magia e sonho, no qual o palhaço é um personagem central. 

No espetáculo, Heinz Limaverde é o palhaço Roe Roe, que tenta fazer de tudo para agradar sua plateia. O palhaço tropeça, erra, pisa na bola. Mas não deixa de tentar e acreditar que o mundo pode ser um lugar de encontro e encantamento. A montagem propõe uma relação de proximidade com o público, transitando entre gags clássicas, números musicais, improvisos, interatividade e as habilidades do artista de rua para entreter e dialogar com os espectadores. Um espetáculo para todas as idades cheio de encanto e brincadeira.

 

> LÍNGUA MÃE. MAMELOSCHN(espetáculo convidado)

(Foto: Adri Marchiori)

QUANDO: 28/04, sábado, às 21h. 

ONDE: Palco principal do Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/no. – Centro, Porto Alegre)

QUANTO: R$ 50,00 (plateia), R$ 40,00 (camarote central), R$ 30,00 (camarote lateral) e R$ 20,00 (galerias) – 50% de desconto para estudantes, idosos e sócios da AATSP. 

ma história sobre mulheres, mulheres na história. Três gerações de personagens femininas, três gerações de atrizes em cena. A música como voz na presença de um personagem masculino. O filho, o irmão, o neto, o homem. Pertencimento, memória, resistência, feminismo, imigrações, ideologia. Amor e ódio. Como falar nossa língua mãe?

Dirigida por Mirah Laline, a montagem para o texto da dramaturga alemã Mariana Salszmann venceu os Prêmios Açorianos de Melhor Espetáculo, em 2015, e Braskem de Melhor Atriz (Mirna Spritzer). Completam o elenco, Ida Celina, Valquíria Cardoso e Philipe Philippsen.

 

> O FANTÁSTICO CIRCO-TEATRO DE UM HOMEM SÓ

(Foto: Kiran)

QUANDO:  29/04, domingo, às 18h.

ONDE: Palco principal do Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/no. – Centro, Porto Alegre)

QUANTO: R$ 50,00 (plateia), R$ 40,00 (camarote central), R$ 30,00 (camarote lateral) e R$ 20,00 (galerias) – 50% de desconto para estudantes, idosos, artistas e sócios da AATSP. 

Link com imagens para TVs: https://www.youtube.com/watch?v=vm_hFmPdSi0

O mágico, a mulher-barbada, o palhaço, a vedete, o bufão e o vagabundo:  personagens do imaginário circense ganham vida na pele de Heinz Limaverde em O Fantástico Circo-Teatro de um Homem Só. As referências para a montagem foram garimpadas nas tradições das velhas lonas de interior, combinadas a importantes questões da arte contemporânea como a cena em primeira pessoa, a memória como matéria de criação, a experiência de proximidade com o espectador.

Com direção de Patrícia Fagundes, a peça lança um olhar para os pequenos circos brasileiros como importante fonte de teatralidade e resistência cultural, muito além dos meios de comunicação de massa. A montagem também traz referências a personagens reais, como o próprio ator, o palhaço Carequinha, a atriz de teatro de revista gaúcha Eloína Ferraz e a mulher barbada mexicana Júlia Pastrana, que viveu no México no século XIX.

Em cena, o ator canta ao vivo – com trilha sonora e preparação vocal assinadas dor Simone Rasslan – e as coreografias são assinadas por Cibele Sastre. A indumentária  é assinada pelo premiado figurinista Daniel Lion.

Anúncios
Publicado em Sem categoria | Marcado com , , | Deixe um comentário

CIDADE PROIBIDA CIRCUITO

Em março e abril, a Cia. Rústica irá visitar três cidades no Rio Grande do Sul e Santa Catarina por meio do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2017/2018 com a intervenção Cidade Proibida. O objetivo é conectar lugares “fora do eixo” colaborando na promoção da diversidade, do intercâmbio teatral e da necessária descentralização cultural de um país com uma produção artística plural e potente.

Cidade Proibida terá apresentações em Caxias do Sul (10,11 e 12/03), Florianópolis (16, 17 e 18/04) e Pelotas (10, 11 e 12/04). Para promover a acessibilidade, todas sessões terão tradução simultânea em libras. O grupo irá também ministrar a oficina Conexões Urbanas, que terá duração de quatro horas e será concluída com uma apresentação em espaços públicos. Em cada cidade, haverá ainda um Encontro com Grupos de teatro.

A cidade se faz tema e cenário, o encontro se faz motivo e linguagem.

Programa Petrobras Distribuidora de Cultura é uma parceria da Petrobras Distribuidora com o Ministério da Cultura. Para o biênio 2017/2018, o valor total da verba destinada é de 15 milhões de reais. Assim como nas edições anteriores, o objetivo é contemplar projetos teatrais profissionais, não inéditos, nas categorias adulto e infanto-infantil, relevantes dentro do cenário cultural brasileiro.

Programa encontra-se estruturado em quatro pilares: apresentações de espetáculos, ações de formatação, encontros com grupos locais e ações de acessibilidade.

Dessa forma, esta ação contribui para a formação de plateias em todo país, incluindo diversos públicos, valorizando ações que fomentem a reflexão e discussão dos temas abordados e possibilita a troca de linguagens cênicas promovendo o enriquecimento dos profissionais e de suas práticas.

CAXIAS DO SUL

ENCONTRO COM GRUPOS LOCAIS > 10 DE MARÇO > 19H30 Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho  Rua Luís Antunes, 312 – Panazzolo, Caxias do Sul – RS.

APRESENTAÇÃO > 11 DE MARÇO > 20H > Praça da Bandeira > São Pelegrino, Rio Branco – RS.

OFICINA CONEXÕES URBANAS > 12 DE MARÇO 9H-13H Teatro Municipal Pedro Parenti  > Rua Dr. Montaury, 1333 – Centro, Caxias do Sul – RS. (inscrições em oficina.conexoesurbanas@gmail.com)

 

FLORIANÓPOLIS

ENCONTRO COM GRUPOS LOCAIS > 16 DE MARÇO >19H30 SESC PRAINHA  Travessa Siryaco Atherino, 100 – Centro, Florianópolis – SC.

APRESENTAÇÃO > 17 DE MARÇO > 20H > Praça Bento Silvério > R. Henrique Veras do Nascimento, 50 – Lagoa da Conceição, Florianópolis – SC.

OFICINA CONEXÕES URBANAS > 18 DE MARÇO 13H-18H SESC PRAINHA  Travessa Siryaco Atherino, 100 – Centro, Florianópolis – SC. (inscrições aqui)

 

PELOTAS

ENCONTRO COM GRUPOS LOCAIS > 10 DE ABRIL >19H30 > LOCAL A CONFIRMAR.

APRESENTAÇÃO > 11 DE ABRIL > 20H > LOCAL A CONFIRMAR. 

OFICINA CONEXÕES URBANAS > 12 DE ABRIL 9H – 13H > UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. 

 

Mais informações aqui e em cidadeproibidacircuito.com

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

FALA DO SILÊNCIO é indicada ao Prêmio Açorianos 2017

A Cia Rústica agradece e comemora as indicações do Prêmio Açorianos 2017 para FALA DO SILÊNCIO, trabalho feito com muito amor e suor, música, batalha e parceria:

Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Atriz, Melhor Trilha Sonora e Melhor Produção.

Agradecemos ao prêmio, um evento da classe teatral promovido pelo poder público há muitos anos, brindamos aos colegas indicados, aos não indicados também, e a todos os artistas que fazem a cena da cidade acontecer, dia a dia, insistindo nas possibilidades de arte em tempos turbulentos. Apesar. Seguimos.

 (Fotos: Adriana Marchiori)
Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

TREMOR em processo

tremor1_CiaRustica_Andre_Varelatremor2_ciaRústica_AndréVarelatremor4_CiaRustica_André_Varelatremor6_CiaRustica_André_Varela

Foto: André Varela

Equipe de Tremor em imagem e criação:

Ander Belotto, André Varela, Evandro Soldatelli, Lauro Fagundes, Marco Rodrigues, Patricia Fagundes, Priscilla Colombi, Rodrigo Shalako e Virginia Cigolini.

Sobre como as coisas foram chegar a esse ponto.

 

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Projeto TRANSIT – Goethe Porto Alegre

Primeira reunião Tremor, estreia maio de 2018. Projeto Transit – Goethe Porto Alegre. Duas montagens do mesmo texto, por Patricia Fagundes (cia rústica) e Lucca Simas. Planejando com borbulhas.

Na foto acima, da esquerda para a direita, Marco Rodrigues, André Varela, Ander Belotto, Lauro Fagundes, Evandro Soldatelli, Priscilla Colombi e Patricia Fagundes, a equipe que vai navegar nessas águas.

Renato Mendonça, crítico do site Agora Teatral, que acompanhará o processo de criação também esteve presente.

 

 

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Teaser FALA DO SILÊNCIO

Confira o teaser do FALA DO SILÊNCIO, novo espetáculo da Cia Rústica.

A estreia é dia 15/04 ás 20h na Sala Álvaro Moreira.

Ingressos antecipados promocionais no site Entreatos.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

FALA DO SILÊNCIO



Um triângulo amoroso através do tempo, tendo como pano de fundo os acontecimentos do país e do mundo. Nossas palavras e nossos silêncios, o que amamos, traímos, choramos e desejamos. Combinando música ao vivo, vídeo, palavra, corpo, festividade e reflexão, o mais novo espetáculo da Cia Rústica dá continuidade à investigação da cena como prática de encontro.

Em cena, três atores, bateria, guitarra, microfones – música ao vivo, criada durante os ensaios, compondo com palavras, silêncios, sensações e situações. Ao fundo, uma tela de colagens difusas que possibilita efeitos de iluminação e suporte de projeção de vídeos, criados especialmente para o espetáculo em uma linguagem que remixa fragmentos de reportagens, palavras, imagens do mundo e dos atores. Elementos do cotidiano compõem o cenário: um sofá- cama, uma mesa, cadeiras; utilizados de formas inusitadas, a partir de uma corporeidade que tanto habita como transcende o comum, articulando desvios coreográficos e transbordamentos de sentidos.

A dramaturgia, desenvolvida durante os ensaios, propõe uma mixagem entre Traições de H. Pinter, textos autorais e memórias contemporâneas, em uma criação dramatúrgica polifônica. Valorizando a palavra e o silêncio, combinando- se com sonoridades e músicas, o texto propõe trânsitos entre o íntimo e o público, o real e o ficcional.

Fala do Silêncio estreou em 15 de abril de 2017 na Sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre, onde realizou duas temporadas. Integrou a programação da 19a edição do Caxias Em Cena e do 24a Porto Alegre Em Cena, contemplada com o Prêmio Braskem 2017 de Melhor Espetáculo e de Melhor Atriz para Priscilla Colombi. Participou da III Mostra de Artes Cênicas e Música do Teatro Glêncio Peres e do Festival Porto Verão Alegre 2018.

Equipe:

Com Leonardo Machado, Lisandro Bellotto e Priscilla Colombi. Direção e composição dramatúrgica: Patricia Fagundes. Trilha sonora: Leonardo Machado e grupo. Vídeos: Mauricio Casiraghi. Iluminação: Lucca Simas. Figurinos: Carol Scortegagna. Painel: Alex Ramirez. Arte gráfica: Marcos Verza. Folder: André Varela. Assessoria de imprensa: Leo Santanna. Produção geral: Patricia Fagundes e Leonardo Machado. Assistência de produção: Di Nardi. Colaborações coreográficas: Marco Rodrigues e Suzi Weber. Fotografia: Alex Ramirez e Adriana Marchiori. Realização: Cia Rústica.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Oficina Shakespeare & Hip Hop

15235829_1644904435535700_1914908949332614387_o

Toda arte é colaboração e se entrega à mistura, à mixagem. Vem aí, cheio de vontade, esse projeto de vários encontros, cruzamentos e possibilidades. Um projeto piloto que poderá ter desdobramentos em outras oficinas e ações.

Imagine Shakespeare em diálogo com Hip Hop Dance no século XXI: poéticas festivas, mestiças, profanas. A partir de Hamlet e fragmentos de outras obras, o popular e polifônico Shakespeare encontra a vibração e antropofagia das danças urbanas.
Shakespeare & Hip Hop é uma oficina que propõe a composição/montagem de cenas que canibalizam texto e coreografia, em exercícios de emergência cênica para pensardançar nossos complexos e turbulentos tempos.

PARA QUEM
Artistas e estudantes de artes cênicas, música, visuais e todas as artes, que estejam movidos pelo compartilhamento de saberes, troca, fusão, como forma de ver e participar do mundo.

A OFICINA
A partir de cruzamentos metodológicos entre dança e teatro, de forma colaborativa e festiva, a oficina articula um mix entre improvisação, jogo, texto, criação e composição coreográfica, abordando conteúdos como: a palavra na cena, a teatralidade de Shakespeare ontem e hoje, jogos do corpo no espaço/tempo, trânsitos entre ator e personagem, musicalidade cênica, corporeidade e palavra, movimento coletivo/individual, técnicas de hip hop dance. Ao final, será montada uma criação com os alunos participantes a ser apresentada ao público.

OS PROFESSORES
Patrícia Fagundes: Encenadora, diretora da Cia Rústica de Teatro e professora do Departamento de Arte Dramática e do Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFRGS. Entre 2004 e 2008, desenvolveu o Projeto Shakespeare, onde dirigiu três espetáculos de destaque na cena gaúcha: Macbeth, Sonho de Uma Noite de Verão e A Megera Domada. Mestre em Direção Teatral pela Middlesex University de Londres, com dissertação sobre Shakespeare. Doutora em Ciências do Espetáculo pela Universidade Carlos III de Madrid, com a tese A Ética da Festividade na Criação Cênica. Depois de vários espetáculos com dramaturgia autoral, Patricia articula novos encontros antropofágicos com Shakespeare.

Marco Rodrigues: Dançarino, professor, coreógrafo e diretor do Grupo My House. Apaixonado por Hip Hop Dance e House Dance. Marco possui um vício incurável: atividade física. Por isso, formou-se em Educação Física, ocupando-se em preparar também fisicamente bailarinos de diversas áreas. Marco ainda realizou duas especializações: uma em Dança e outra em Gestão Cultural. Atualmente é mestrando no Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFRGS.

De 16 a 28 de janeiro de 2017 – 17 as 20.30.
Carga horária de 40 horas (incluindo a apresentação pública)
Local: Usina do Gasômetro, sala 503
Inscrições a partir do dia 5 de dezembro (até dia 15, tem desconto!)

Vagas limitadas! Informações sobre a forma de inscrição e pagamento através do e-mail: shakeshiphop@gmail.com

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Oficina de Montagem – CORPO – PALAVRA – MEMÓRIA

oficina_12.08.20162.jpg

A oficina CORPO – PALAVRA – MEMÓRIA oferece a experiência de uma montagem cênica através de procedimentos utilizados em processos desenvolvidos pela Cia Rústica, como memória e material biográfico na composição, o corpo como matéria criativa, a palavra como elemento de jogo, a cena como estado de encontro. Através de exercícios, jogos, improvisações, composições e experiências plurais o aluno irá compartilhar e vivenciar a criação do espetáculo e sua dramaturgia. As apresentações finais serão nos dias 02, 03 e 04 de dezembro na sala 503 da Usina do Gasômetro. A montagem contará com a colaboração artística de Patrícia Fagundes.

Quando?
de setembro a outubro de 2016
terças e quintas a noite das 18h às 21:30.
Onde?
na sala 503 da Usina do Gasômetro.
Público alvo:
estudantes de teatro, bailarinos, atores,
músicos e artistas em geral
Investimento
R$ 500,00
ou três vezes de R$ 175,00
ou duas de R$ 260,00

Inscrições por e-mail: oficinarustica2016@gmail.com (enviando carta de intenção e currículo)
Sobre os ministrantes:

Ander Belotto
Mestrando em Artes Cênicas pelo PPGAC – UFRGS, onde desenvolve a pesquisa EMBARALHANDO ESPAÇOS E DILUINDO FRONTEIRAS – EM BUSCA DE UM TEATRO FEITO DE DANÇA: um estudo teórico-prático, a partir do ponto de vista da direção, sobre os princípios de composição cênica da dança aplicados ao teatro. Formado em Direção Teatral pela UFRGS, onde foi bolsista de iniciação científica BIC-UFRGS na pesquisa O processo de ensaios como um mecanismo de relações, orientado por Patrícia Fagundes. Como Trabalho de Conclusão de Curso, publicou a monografia “O TRABALHO COM O ATOR: os princípios de direção de ator indicados por Anne Bogart no processo criativo de Carícias”, onde desenvolveu perspectivas prático-teóricas relacionadas à direção de atores. Na Cia Rústica trabalha como ator em Feito Criança, Desvios em Trânsito e Cidade Proibida; foi assistente de direção em Natalício Cavalo e operador de som e produtor em Clube do Fracasso. Também é integrande do Quarta Parede – processos contemporâneos.
Di Nardi
Mestrando em Artes Cênicas no PPGAC – UFRGS, onde desenvolve a pesquisa “A identidade no processo criativo do ator” sob orientação de Patrícia Fagundes. Graduado em Teatro com Habilitação em Interpretação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde foi bolsista na pesquisa Práticas corporais artísticas de dança, improvisação e performance, orientado por Suzi Weber. Atualmente está no elenco de Feito Criança (2015), Desvios em Trânsito (2015) e Cidade Proibida (2013) da Cia Rústica, dirigidos por Patrícia Fagundes. Estreou Teoria Bang Bang, trabalho final do Curso de Graduação desenvolvido em parceria com Gabriela Chultz e Suzi Weber. Atuou no espetáculo Jogo da Vida da Fundação Thiago Gonzaga. Participou de Os Bárbaros: An Extreme Fashion Show realizada em Porto Alegre pelo La Pocha Nostra durante o 8º Festival Palco Giratório SESC; e do espetáculo Out of Context for Pina do Les Ballets C de La B em 2011 no 18º Porto Alegre em Cena.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Usina Rústica no Sul21

Confira a matéria sobre a programação da Usina Rústica, sala 503 da Usina do Gasômetro!

Clicando no link!
20160623-cabaredarustica_foto_denison_fagundes_dullius1

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário