oficinas

A companhia oferece oficinas com focos diversificados, desenvolvendo uma prática pedagógica consistente que promove a circulação de experiências e contágios artísticos.
Poéticas Festivas:   A proposta da oficina está fundamentada na perspectiva de uma ética da festividade na criação cênica. (Este é também o título da tese defendida por Patrícia Fagundes em doutorado realizado na Universidade Carlos III de Madri,  em um constante diálogo entre teoria e prática, reflexão e experiência criativa). Uma ética do encontro e da diversidade, que celebra o corpóreo, o prazer e o próximo, aceitando o caos e a turbulência como parte de uma existência complexa e multidimensional. Desde tal perspectiva, ética e estética são vetores indissociáveis. Todo procedimento e poética artística nasce de um conjunto de opções que implica uma relação particular com o mundo e com o outro. Assim, o teatro ofecere um espaço propício para a experiência do próximo, criando microterritórios de sociabilidade que acontecem em, com e entre os corpos de seus habitantes nômades, com a potencialidade de carnavalização do mundo. Teatro como experiência, como dispositivo de conexões, como máquina que provoca e administra encontros.
Na perspectiva de uma “ética festiva”, o aspecto coletivo, imediato e corporal da criação teatral é reconhecido e valorizado, em uma metodologia que assume o prazer, o tosco, a cumplicidade, o risco e o ridículo como fluxos necessários; compondo a partir do corpo, da experiência sensível e do jogo com o outro e o mundo. A oficina oferece uma viagem compacta por este universo de criação, propondo uma experiência criativa a partir dos processos de ensaio desenvolvidos em várias montagens da Cia Rústica, compartilhando práticas e reflexões.
A carga horária pode ser adaptada de acordo com as necessidades de cada local/grupo, prevendo um mínimo de 9 horas. Em processos mais longos (a partir de 30h), a oficina pode contar com uma mostra aberta ao público.
 Ministrantes: Patrícia Fagundes com a colaboração do elenco
Público-alvo: Atores, diretores, bailarinos, estudantes de artes cênicas.
Número de vagas: mínimo de 10 e máximo de 25 pessoas
Desvios Urbanos: A oficina propõe o desenvolvimento de ações performativas para o espaço urbano que repensam a relação ator-espectador e os procedimentos cênicos na rua, de acordo com o modelo da intervenção Desvios em Trânsito, articulada pela Cia Rústica desde 2010. A idéia de desvio e de encontro é o eixo norteador para a criação.
Segundo os atomistas gregos, o mundo é composto por átomos em caída livre no vazio, em uma trajetória retilínea onde nada aconteceria se tal estabilidade não fosse jamais perturbada. Lucrecio introduz a idéia do clinamen: para que a existência seja possível, acontecem pequenos desvios na trajetória retilínea dos átomos, que assim se chocam, se encontram e dão origem às coisas. O mundo só existe pelo desvio e pelo encontro, todas as coisas – mar, pedra, flor, mulher ou abelha – se formam a partir do desvio do equilíbrio e do encontro. Desvio, transformação, relação.
Através de uma metodologia colaborativa e festiva, os participantes desenvolverão propostas autorais para a realização de uma intervenção urbana, valendo-se do seu repertório imaterial e material (figurinos, objetos, elementos pessoais). A partir do conhecido, ações insólitas que perturbem o automatismo diário, que desconcertem, surpreendam, divirtam, provoquem; provocações de desvios das trajetórias retilíneas do cotidiano. As ações não necessitam conexões óbvias: as conexões serão realizadas, ou não, pelas pessoas que observam. Em nossa época espetacular, há um excesso de estímulos em qualquer centro urbano, lutando desesperadamente pela atenção de quem transita. Desvios em Trânsito propõe relações alternativas entre o performer e a cidade, através de ações cênicas que não configuram propriamente um espetáculo, buscando integrar-se no movimento das ruas, ao mesmo tempo em que provocam estranhamento. A simultaneidade das ações compõe um painel polisémico aberto a diferentes percepções. Os atores realizam suas ações sem exigir a atenção de ninguém, apenas se expõem ao olhar de quem passa. A partir de elementos conhecidos, o ordinário em diálogos com o extraordinário. Desvios que provoquem deslocamentos de significados, gerando a formação de sentidos inesperados e buscando outras formas de diálogos entre o artista e a cidade.
Que transformações, que novas formas podem gerar os desvios? Não sabemos exatamente. A oficina se articula como um exercício de investigação, uma aventura, desejo de encontro e descoberta. É necessário percorrer territórios de turbulências, para que a arte possa modelar micro-territórios sociais e estabelecer redes de relações, inserindo-se no tecido do mundo.
Ministrante: Patrícia Fagundes
Carga-horária: 12 horas, divididos em 3 dias, incluindo no último a realização da intervenção urbana.
Público-alvo: Atores, diretores, bailarinos, estudantes de artes cênicas, performers, artistas em geral.
Número de vagas: 18 (Mais duas vagas para observadores ativos, que acompanharão a intervenção)
Movimentos Sonoros
 Esta oficina busca o reconhecimento de matérias sonoras para criação de cenas ou performances sonoras. A partir de um procedimento utilizado pela Cia Rústica investigaremos nesta oficina a composição de ambientes sonoros ao vivo e seu potencial de evocar memórias, fazer emergir narrativas,  ser cúmplice do jogo e performance do ator.
A partir de vivências de escuta e percepção das diferentes paisagens sonoras que compõe ambientes para o corpo em movimento busca-se criar relações de jogo e criação tendo como primeiro plano a textura sonora. Conhecendo e explorando recursos de voz, palmas, estalos, batidas, manipulação de objetos sonoros e instrumentos musicais investiga-se de forma lúdica as relações entre som, palavra, movimento e memória.
Trabalha-se: relações de jogo, investigações sonoras a partir de células rítmicas, apreciação de ambientes sonoros, canto, jogos teatrais e musicais, compartilhamento e criação de arquivos sonoros e biografias musicais além de livres composições tendo como plataforma o corpo em movimento, o som e as memórias sonoras do grupo de alunos.
Ministrante: Marina Mendo
Carga-horária: mínimo 09 horas, incluindo no último a realização de uma mostra ou intervenção sonora
Público-alvo: estudantes de teatro e música, artistas em geral.
Número de vagas: mínimo 12 máximo 20 participantes
Anúncios

3 respostas para oficinas

  1. Jéssica disse:

    Gente, quando tem oficina de novo?!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s