Sobre a Cia

Cia Rústica surge em 2004, em Porto Alegre/RS – Brasil, com o objetivo de criar uma zona autônoma de trabalho entre artistas plurais. É um dos núcleos teatrais mais significativos da cidade, desenvolvendo uma trajetória de investigação consistente, projetos relevantes, espetáculos premiados e reconhecidos pelo público.
A companhia se propõe a investigar um pensamento não dissociado do corpo, uma crítica atravessada de poesia e humor, problematizando e desenvolvendo continuamente sentidos e formas de suas criações. Trabalha-se sobre uma estrutura que insiste em alguns aspectos singulares do teatro como espaço de encontro; o corpo como princípio de criação e comunicação; os riscos e forças da relação entre atores e público. A cena como experiência e dispositivo de conexões, dentro da perspectiva de uma ética da festividade na criação cênica: uma ética do encontro e da diversidade, que celebra o corpóreo, o prazer e o próximo.

foto kiran

O primeiro projeto da Cia foi Em Busca de Shakespeare, uma das iniciativas de maior destaque na cena gaúcha nos últimos anos, investigando uma linguagem contemporânea a partir da tradição de uma forma cênica vital e potente. Levou à cena Macbeth (2004), Sonho de Uma Noite de Verão (2006) e A Megera Domada (2008), além de promover oficinas, debates, ensaios abertos e apresentações em espaços não convencionais e para espectadores de distintos grupos sociais, buscando a ampliação dos campos de ação artística. As montagens foram contempladas com vários Prêmios Açorianos (Prefeitura Municipal de Porto Alegre).
Em 2005,desenvolvemos o projeto TeatroParaTodasasIdades, com a montagem de Pandolfo Bereba (financiamento Fumproarte/PMPA).
Em 2010, a Cia inicia a Trilogia Festiva, composta por três montagens: Clube do Fracasso, Natalício Cavalo e Caóticas. Transitando de Shakespeare à criação de dramaturgia em sala de ensaio, o projeto mantém a dinâmica colaborativa no processo criativo e a investigação de uma linguagem que combina humor e poesia,real e teatralidade,memória e presente. Clube do Fracasso,um olhar sobre o erro e a fragilidade humana, estreou em outubro de 2010 (Prêmio Funarte Myriam Muniz 2009 – Indicação ao Prêmio Açorianos de Melhor Espetáculo, Direção, Produção e Dramaturgia – Prêmio de Melhor Espetáculo Júri Popular e Melhor Dramaturgia). A segunda montagem estreou em março de 2013: Natalicio Cavalo, uma aventura poética de um anti-herói que vaga pelos caminhos do Rio Grande do Sul (Prêmio Funarte Myriam Muniz 2012) contemplado com o Prêmio BRASKEM Em Cena de Melhor Espetáculo 2013. Natalício Cavalo foi indicado em 9 categorias do Prêmio Açorianos de Teatro 2013 incluindo Melhor espetáculo, direção, ator, dramaturgia, figurino, cenário, trilha sonora, iluminação e produção. Recebeu o Prêmio de Melhor Ator para Rossendo Rodrigues. Caóticas está prevista para 2017.
Além da Trilogia, em 2010 a companhia começa a desenvolver o projeto Trânsitos, “infiltrações poéticas” pelas ruas da cidade, investigando a linguagem da intervenção urbana. O primeiro evento foi Desvios em Trânsito (Prêmio Funarte Artes Cênicas na Rua 2009 ), que continua em atividade. O segundo, Cidade Proibida, convívio cênico em parques e praças que tornam-se proibidos durante a noite,  estreou em novembro 2013 no Parque da Redenção – Prêmio Funarte Artes Cênicas na Rua 2012). Em 2015, estreia Feito Criança, uma experiência de dança na rua, no Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre.
Em 2011, estreamos O Fantástico Circo-Teatro de um Homem Só (financiamento Fumproarte/PMPA), solo com Heinz Limaverde que transita entre memória e instante efêmero da cena. Prêmio Açorianos de Melhor Direção e Melhor Figurino. Foi uma das montagens selecionadas para o Palco Giratorio Sesc 2013, e já viajou o país em vários festivais e programas de circulação.
Ainda em 2013, inicia o projeto Movimentos Rústicos, que contempla pesquisas e desejos mais singulares dos artistas da companhia. O espetáculo Miragem, um projeto de Marina Mendo com direção de Lisandro Bellotto e financiamento Fumproarte/PMPA, é a primeira iniciativa dessa linha de ação. O espetáculo foi indicado em 10 categorias do Prêmio Açorianos de Teatro 2013 Melhor espetáculo, direção, dramaturgia, atriz, ator coadjuvante, trilha sonora, iluminação, figurino, cenário e produção,  recebendo destaque com o Prêmio Açorianos Especial do Juri 2013 da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
PATRÍCIA FAGUNDES
Diretora da Cia Rústica e professora de Direção Teatral no Departamento de Arte Dramática e no programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRGS. Doutora em Humanidades- Ciencias del Espectáculo pela Universidad Carlos III de Madrid. Mestre em Direção Teatral pela Middlesex University de Londres. Bacharel em Direção Teatral pelo DAD/ UFRGS. Além da atividade acadêmica, Patrícia Fagundes sempre manteve intensa atividade profissional, dirigindo e produzindo vários espetáculos, performances e eventos, entre eles: Feito Criança (2015), Cidade Proibida ( 2013), Natalício Cavalo (2013 -indicação ao Prêmio Açorianos de Direção, Espetáculo; Dramaturgia e Produção, entre outros – Prêmio Braskem em Cena Melhor Espetáculo 2013), Coração Randevú (2012 – indicação ao Prêmio Açorianos de Direção e Espetáculo) O Fantástico Circo Teatro de um Homem Só (2011 – Prêmio Açorianos de Melhor Direção e Melhor Figurino), Clube do Fracasso (Indicação ao Açorianos 2010 de Melhor Direção, Espetáculo e Produção – Prêmio Açorianos de Melhor Dramaturgia e Melhor Espetáculo Júri Popular), Desvios Em Trânsito (intervenção urbana), A Megera Domada (Indicação ao Açorianos 2008 de Melhor Direção, Espetáculo e Produção – Prêmio Açorianos e Braskem de Melhor Ator e Melhor Atriz), Sonho de Uma Noite de Verão ( Prêmio Açorianos Quero-Quero e Braskem 2006 de Melhor Direção, Espetáculo e Trilha Sonora), Macbeth (Indicação ao Açorianos 2004 de Melhor Direção e Produção), Pandolfo (Indicação ao Tibicuera 2005 de Melhor Direção e Espetáculo), O Beijo no Asfalto (Indicação ao Açorianos 1998 de Melhor Direção e Espetáculo, Prêmio de Melhor Produção), O Bandido e o Cantador (Indicação ao Açorianos 1996 de Melhor Direção), O Jantar (1995), Até Segunda Ordem (1993).

HEINZ LIMAVERDE

Migrando do interior do Ceará para o sul do país, Heinz se tornou um dos atores de maior destaque na cena gaúcha, com ampla experiência em teatro, performance, cabaret e cinema. No teatro, participou de diversos espetáculos, entre eles: Cidade Proibida (2013) Natalício Cavalo ( 2013), O Fantástico Circo Teatro de um Homem Só (2011 – Indicação ao Prêmio Açorianos de Melhor Ator), Clube do Fracasso (2010), A Megera Domada (Prêmio Açorianos e Braskem 2008 de Melhor Ator), Sonho de Uma Noite de Verão(Prêmio Braskem 2006 de Melhor Ator), O Gordo e o Magro vão para o Céu (direção de Liane Venturella e Nelson Diniz), O Hipnotizador de Jacarés (Prêmio Tibicuera 2006 de Melhor Ator, direção Dilmar Messias), O Pagador de Promessa, O Auto da Compadecida (ambos com direção de Roberto Oliveira), Romeu e Julieta (direção de Zé Adão Barbosa). No cinema, se destacam o longa Ainda Orangotangos e o curta metragem Outros, ambos com direção de Gustavo Spolidoro. Integrou a equipe permanente da renomada e divertida Bagasexta.
 LISANDRO BELLOTTO
Ator, diretor, Bacharel em Interpretação Teatral no Departamento de Arte Dramática da UFRGS e Mestre em Teatro no PPGAC/UFRGS, investigando o diálogo do ator contemporâneo com as tecnologias. Na Cia Rústica, integra o elenco de Cidade Proibida (2013), Natalício Cavalo(2013), Clube do Fracasso(2010), Desvios em Trânsito(2010), A Megera Domada(2008), Sonho de Uma Noite de Verão(2006) e Macbeth(2003). Em 2013 dirigiu os espetáculos de Artes Integradas:  Miragem (financiamento FUMPROARTE/PMPA) e Polaróides Made in Dança (financiamento FUMPROARTE/PMPA). Em 2011 dirigiu o espetáculo VÃO, ganhador do prêmio “Mais Teatro Revelação” da SMC. Participou de montagens como Extinção, Andy e Edie, Teresa e o Áquario com direção de João De Ricardo, Em Trânsito direção de Sissi Venturin, As Núpcias de Teodora e A Ronda do Lobo, com direção de Décio Antunes.
PRISCILLA COLOMBI Ingressou no Teatro em 2003. Em 2005, conclui o curso Formação de Atores no TEPA. É Bacharel em Artes Cênicas (Interpretação Teatral) pela UFRGS – 2009. Em 2014, na Casa de Teatro de Porto Alegre, foi aluna dos cursos de Cinema e TV. Cursou aulas de Jazz e Ballet Clássico no Laboratório da Dança e estuda percussão com o renomado músico Fernando do Ó regularmente desde 2012. Membro da Cia Rústica de Teatro desde 2010, participou como atriz dos seguintes espetáculos, todos com direção de Patricia Fagundes: Desvios em Trânsito (2010), Clube do Fracasso (2010), Natalício Cavalo (2013) e Cidade Proibida (2013). No teatro, atuou em outros espetáculos como O País de Helena (2009) e Concentração (2015), de Ana Paula Zanandréa, Parasitas (2010), de João Pedro Madureira (Vai!CiadeTeatro). Na televisão, participou das minisséries Fora do Ar (2011), com direção de Márcio Schoenardie e Filé de Borboleta (2012), com direção de Cristiano Klein, produzidas pela RBSTV.
Feito_criança_dança_ponto_com-67

DI NARDI

Ator, mestrando em Artes Cênicas e graduado em Teatro com Habilitação em Interpretação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS/2013, onde foi bolsista na pesquisa Práticas corporais artísticas de dança, improvisação e performance, orientado por Suzi Weber.  Atualmente está no elenco de Feito Criança (2015) e Cidade Proibida (2013) da Cia Rústica, dirigidos por Patrícia Fagundes. Estreou Teoria Bang Bang, trabalho final do Curso de Graduação desenvolvido em parceria com Gabriela Chultz e Suzi Weber. Atuou no espetáculo Jogo da Vida da Fundação Thiago Gonzaga.  Participou de Os Bárbaros: An Extreme Fashion Show realizada em Porto Alegre pelo La Pocha Nostra durante o 8º Festival Palco Giratório SESC; e do espetáculo Out of Context for Pina do Les Ballets C de La B em 2011 no 18º Porto Alegre em Cena.

ANDER BELOTTO
feito_crianca_danca_ponto_com-152
Formado em Direção Teatral pela UFRGS, atualmente cursa o Mestrado em Artes Cênicas. Desde 2006, participa da montagem e execução de projetos artísticos desempenhando funções diversas: ator, bailarino, produtor e diretor. Integrante do Quarta Parede – processos contemporâneos, grupo de dança de Caxias do Sul dirigido por Gislaine Sacchet. Na Cia Rústica, trabalha em Feito Cri
ança (2105), e Cidade Proibida (2014) como  ator,  em Natalício Cavalo (2013)  como assistente de direção e de produção, em Clube do Fracasso e O Fantástico Circo-Teatro de um Homem Só como assistente de produção.
Saiba mais sobre a Cia Rústica em “Sobre Criações e Mortes – Cia Rústica 10 anos – Divagações Cênicas” por Patrícia Fagundes clique aqui
Anúncios

4 respostas para Sobre a Cia

  1. Adorei viu participar da oficina de teatro aqui em goiania ! do festival cena gaucha ! Obrigado !
    muito bom para meu crescimento pessoal e profissional ! grande talento são vocês.

  2. ciarustica disse:

    Adoramos também estar aí em Goiânia! obrigada pelo seu retorno. abraço

  3. Jackson Pereira disse:

    Meus parabéns pelo espetáculo CLUBE DO FRACASSO acompanhei ontem aqui em Caxias do sul, muito bom mesmo continuem assim.

  4. Pingback: O Fantástico Circo-Teatro de um Homem Só, no Espaço Parlapatões‏ - ArteView

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s